Publicidade

Ibovespa opera em alta nesta terça; Natura&Co despenca mais de 15%

14, março 2023

O principal índice do mercado de ações brasileiro caiu 0,48%, aos 103.121 pontos nesta segunda (14). Ibovespa
Pexels
O Ibovespa, principal índice da bolsa de valores de São Paulo, a B3, opera em alta nesta terça-feira (14), com olhos em dados de inflação dos Estados Unidos e noticiário corporativo no Brasil. Após resultados do 4º trimestre, a Natura&Co despenca mais de 15% no pregão.
Às 12h, o índice subia 0,26%, aos 103.389 pontos. Veja mais cotações.
Na segunda, o Ibovespa teve queda de 0,48%, aos 103.121 pontos. Com o resultado, o índice acumula queda de 1,73% no mês. No ano, o recuo é de 6,03%.
O que está mexendo com os mercados?
O mercado segue atento ao cenário econômico dos Estados Unidos. O país divulgou, nesta manhã, a inflação ao consumidor. Os dados econômicos do país reforçam a perspectiva que o Fed deve continuar elevando as taxas de juros para tentar conter a inflação na maior economia do mundo, mas de maneira mais branda do que vinha fazendo no ano passado.
Entre os indicadores, os dados de fevereiro da inflação ao consumidor (CPI) nos Estados Unidos foram destaque da terça-feira. O índice subiu 0,4% em fevereiro, em meio aos salgados custos de aluguel de moradias, mas economistas estão divididos sobre se o aumento da inflação será suficiente para pressionar o Fed.
O resultado reduziu o aumento na base anual para 6,0% em fevereiro, o menor ganho nessa base de comparação desde setembro de 2021.
Excluindo os componentes voláteis de alimentos e energia, o índice subiu 0,5%. Nos 12 meses até fevereiro, o chamado núcleo da inflação ao consumidor avançou 5,5%. Os números estão em linha com a expectativa de mercado e devem ajustar a precificação do mercado em relação à próxima decisão de política monetária do Fed.
Em janeiro, o índice cheio variou 0,5% na margem e subiu 6,4% em bases anuais; o núcleo do índice variou 0,4% na margem e subiu 5,6% ao ano. O índice atingiu um pico de 9,1% em junho na comparação anual, maior nível desde novembro de 1981.
Além disso, o setor bancário americano está em alerta. Na sexta-feira, autoridades anunciaram o encerramento das atividades do Silicon Valley Bank (SVB), banco financiador de startups. A notícia da falência, a segunda maior do setor bancários dos EUA, provocou apreensão entre os clientes do SVB que não conseguiram movimentar o dinheiro aplicado no banco.
O impacto do fim do SVB ainda não está claro, mas especialistas em economia dos EUA afirmam não acreditar que a falência do banco cause um efeito dominó semelhante ao que levou à crise financeira de 2008.
O fechamento do banco ocorreu após aumentos nas taxas de juros que afetaram empresas de tecnologia iniciantes e uma tentativa de aumento de capital da instituição que estimulou uma corrida de saques.
Análise da XP confia em pouco efeito da crise para os bancos brasileiros. “Reiteramos nossa visão de que, apesar do desafiador ano de 2023, os balanços dos bancos brasileiros estão saudáveis ​​e os atuais descontos no valuation dessas empresas funcionam como um colchão para as ações”, diz o texto.
No Brasil, destaque para o noticiário corporativo. A Natura&Co, fabricante de cosméticos, reportou prejuízo líquido de R$ 890,4 milhões no 4º trimestre, pressionada em parte por receitas menores em todas as linhas de negócios. O Ebitda ajustado encolheu 29% e os papéis da empresa despencam mais de 15%.
Analistas do BTG Pactual consideraram fracos os resultados, afirmando que o “difícil ‘turnaround'” os deixa mais conservadores em relação à empresa, apesar de enxergarem oportunidades de curto prazo. No pior momento, as ações chegaram a 11,94 reais.
Initial plugin text

Fonte: G1