Nacional

CVM faz acordo de R$ 5 milhões com XP e diretores para encerrar processo


Investigação começou em 2020 e apurava infrações de plano de contingência, procedimentos e controles internos. O colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acertou na terça-feira (11) um acordo de R$ 5 milhões com a XP Investimentos e seus diretores, incluindo o fundador Guilherme Benchimol, para encerrar um processo que apurava infrações de plano de contingência, procedimentos e controles internos.
Além de Benchimol, o acordo foi firmado com os diretores Bernardo Amaral Botelho, Fabrício Cunha de Almeida e Carlos Alberto Ferreira Filho.
Presidente da XP, Guilherme Benchimol, comemora IPO da companhia na Nasdaq
Tiago Ribeiro/Divulgação
XP anuncia acordo para compra do Banco Modal
Pelo acordo, a XP vai pagar R$ 2,8 milhões para a CVM e cada um dos diretores vai desembolar R$ 550 mil.
Com o tema "Ordens e Plataformas de Negociação", a investigação começou por meio de uma inspeção da CVM, no início de 2020, para "mensurar questões de instabilidade das plataformas, envio de ordens, latência, capacidade de atendimento e planos de contingência".
No processo da CVM, a XP foi responsabilizada por instabilidades na plataforma PIT da Clear Corretora entre 2019 e 2020, além de falhas no atendimento de contingência. A entidade também apontou que a XP não realizou a divulgação adequada dos canais de atendimento para os seus clientes.
Agora, segundo a CVM, a XP terá de implementar uma série de medidas, como um "Acordo de Nível de Serviço" com seus clientes e realizar pareces trimestrais com dados de latência da plataforma de negociação da Clear e de prazos de atendimento pelos canais de contingência.
Vídeos: Últimas notícias de economia

Fonte: G1