Nacional

Teto do INSS deve subir para R$ 7.087; veja como ficam os valores dos benefícios acima do salário mínimo


Segurados terão reajuste de 10,16% nos benefícios, mas índice vale apenas para quem recebia o pagamento em janeiro de 2021; para quem teve o benefício concedido ao longo do ano passado, percentual cai, dependendo do mês de início de recebimento. Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que recebem benefícios acima do salário mínimo devem ter reajuste de 10,16% na remuneração, após divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que é usado como referência para o reajuste.
Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
O governo precisa ainda oficializar o reajuste por meio de portaria no "Diário Oficial da União". Procurado pelo g1, o Ministério do Trabalho e Previdência informou que "conforme previsto em lei, o INPC serve como base para reajustar os benefícios do INSS", mas acrescentou que "ainda não há data certa para a publicação da portaria".
Com o reajuste, o teto dos benefícios do INSS deverá passar de R$ 6.433,57 a R$ 7.087,22.
O reajuste de 10,16% vale apenas para quem estava recebendo os pagamentos em 1º de janeiro do ano passado. Os segurados que começaram a receber benefícios do INSS a partir de fevereiro de 2021 terão percentual menor de reajuste porque não receberam 12 meses cheios de pagamentos. Assim, o percentual de reajuste fica menor quanto mais tarde for a data de início do benefício.
Os percentuais de reajuste proporcionais também deverão ser regulamentados nos próximos dias pelo Ministério do Trabalho e Previdência e pelo INSS.
Já para quem ganha o benefício no valor do salário mínimo, o piso nacional passou para R$ 1.212 desde 1º de janeiro. Por lei, aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte pagas pelo INS não podem ser inferiores a 1 salário mínimo.
Veja abaixo como devem ficar os valores reajustados de acordo com o novo salário mínimo e INPC – valores referentes a mais de um salário mínimo englobam quem estava recebendo os pagamentos em 1º de janeiro de 2021.
Benefícios do INSS
Economia g1
Confirmado o reajuste de 10,16% para beneficiários do INSS que recebem valores acima de um salário mínimo, o aumento será pouco menor que o do salário mínimo, que teve alta de 10,18%, ou de R$ 112 em relação ao valor vigente (R$ 1.100) no ano passado, mas incorporou quase R$ 2 como compensação pelo reajuste do salário mínimo abaixo da inflação em 2021.
Aposentados do INSS terão reajuste de 10,16%
Em 2021, o reajuste foi de 5,45% para beneficiários do INSS que recebem acima de 1 salário mínimo. Já para quem ganhava 1 salário mínimo, o percentual foi de 5,26%. Veja abaixo o histórico de reajustes:
Índices de reajuste de benefícios do INSS ano a ano
Economia g1
De acordo com o INSS, dos 36 milhões de benefícios pagos, 23 milhões recebem o valor do salário mínimo, ou seja, 36% do total ganha acima do piso nacional.
LEIA TAMBÉM:
Salário mínimo em 2022: veja o valor nacional e nos estados
INSS: veja calendário de pagamento de benefícios em 2022
Prova de vida: INSS estende prazo para segurados
Calendário de pagamentos
INSS divulga calendário de pagamento de 2022 para beneficiários
Quem ganha o benefício no valor de um salário mínimo recebe primeiro. O calendário referente a janeiro começa no dia 25. Já para quem recebe acima do piso nacional, os pagamentos serão a partir de 1º de fevereiro.
Os pagamentos são realizados levando em conta o número final do benefício, sem considerar o último dígito que aparece depois do traço.
Veja calendário abaixo:
calendário de pagamento de benefícios em 2022
Divulgação

Fonte: G1