Nacional

Relembre alguns dos maiores negócios dos últimos anos envolvendo empresas brasileiras

Pão de Açúcar anunciou nesta sexta ter vendido 71 pontos do Extra ao Assaí e que deixará segmento de hipermercados. O Grupo Pão de Açúcar (GPA) fechou a venda de 71 pontos comerciais da bandeira Extra Hiper para o Assaí e anunciou nesta sexta-feira (15) que deixará de operar com o modelo de hipermercado no Brasil, em uma transação estimada em R$ 5,2 bilhões.
Apesar da cifra, o negócio não é o maior realizado no país nos últimos anos.
Relembre abaixo algumas fusões e aquisições bilionárias recentes envolvendo empresas brasileiras:
1) Suzano e Fibria
Em 2018, a Suzano passou a ser a controladora da Fibria – ambas empresas do mercado de celulose. Pelo acordo de fusão, os acionistas da Fibria receberam um total de cerca de R$ 29 bilhões e 255 milhões de novas ações da Suzano Papel e Celulose.
Relembre no vídeo abaixo:
Suzano compra Fibria e cria líder mundial em celulose
2) Itaú Unibanco e XP Investimentos
O Itaú Unibanco acertou a compra de participação de 49,9% da XP Investimentos por R$ 6,3 bilhões em 2017. Este ano, o banco deixou de participar da administração da XP, depois de uma cisão entre ações: a XP passou a ser da XPart, uma nova empresa do Itaú, mas que não pertence ao conglomerado bancário, e que tem sede nos Estados Unidos.
3) Natura e Avon
Em 2020, o Grupo Natura concluiu a compra da Avon Products, criando o quarto maior grupo de beleza do mundo. O negócio avaliou a empresa norte-americana em US$ 2 bilhões.
Relembre no vídeo abaixo:
Natura compra Avon e forma grupo de mais de US$ 10 bilhões
4) Boeing e Embraer
As duas empresas do ramo de construção aeronáutica anunciaram em 2018 uma parceria que criaria um negócio de US$ 5,26 bilhões, com a criação de uma nova empresa de aviação comercial no Brasil. Dois anos depois, no entanto, o negócio naufragou e o acordo bilionário foi rompido – entenda como isso aconteceu.
Relembre no vídeo abaixo:
Boeing desiste de comprar parte da Embraer
5) Eldorado e Paper Excellence
Em 2017, a J&F (holding que reúne os negócios dos irmãos Joesley e Wesley Batista, entre eles, o frigorífico JBS) vendeu a empresa Eldorado Celulose e Papel por R$ 15 bilhões para o grupo Paper Excellence.
6) Vigor e Lala
O grupo J&F também vendeu, para o grupo mexicano Lala, a empresa de laticínios Vigor, em 2017, por cerca de R$ 5,72 bilhões.
7) Alpargatas e Itaúsa
Outro grande negócio do grupo J&F: a participação de 54,24% da empresa dos irmãos Batista na dona da marca Havaianas foi vendida por R$ 3,5 bilhões em 2017, para a Itaúsa, Cambuhy Investimentos e Brasil Warrant (BW).
Relembre no vídeo abaixo:
Camargo Corrêa vende o controle da empresa Alpargatas
8) Tyson Foods e Marfrig
A brasileira Marfrig anunciou em 2018 a venda de sua participação na subsidiária Keystone Foods. A compradora foi a norte-americana Tyson Foods, que pagou US$ 2,4 bilhões no negócio.
9) Nextel e Claro
Há dois anos, a mexicana América Móvil, dona da Claro no Brasil, anunciou acordo para comprar a Nextel Brasil. As controladoras (NII e AI Brazil Holdings) concordaram vender suas participações totais na empresa por US$ 905 milhões, o equivalente a R$ 3,47 bilhões.

Fonte: G1