Nacional

Preço do ovo branco bate recorde no atacado em SP, principal produtor do país


Patamares máximos foram atingidos em algumas das principais regiões do estado, de onde sai um terço do alimento. Aumento da procura e custo com ração puxam cotações. Ovo branco mais caro.
@ntaylor13/Unplash
O preço do ovo branco no atacado está batendo recorde em algumas das principais regiões produtoras de São Paulo, estado de onde vem um terço do alimento, mostra levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP.
As cotações são puxadas pelo aumento do custo da ração e por uma maior procura do consumidor, diante da alta do preço da carne.
Com o avanço nas granjas, os preços podem subir também nos supermercados nos próximos dias, segundo especialistas.
Leia também:
QUIZ: Sabe tudo sobre ovos? Teste seus conhecimentos
Por que as cores dos ovos são diferentes? Veja essa e outras curiosidades
De acordo com a analista de mercado de ovos do Cepea Juliana Ferraz, até o dia 13 de outubro, as cotações mensais da caixa do ovo branco com 30 dúzias atingiram, na média, seus maiores valores nominais (sem considerar inflação), nas seguintes regiões:
Grande São Paulo: R$ 134,01
Grande Campinas (SP): R$ 129,36
Guararapes/Mirandópolis (SP): R$ 128,24
Bastos (SP): R$ 127,83
"A expectativa é de que essa alta seja repassada para o consumidor, do mesmo jeito que já foi possível ver esse aumento em setembro. Quando as carnes sobem muito de preço, o ovo também sobe, por causa do aumento da procura", afirma André Braz, economista da Fundação Getulio Vargas (FGV).
Em São Paulo, por exemplo, a dúzia de ovos brancos no varejo teve leve alta entre agosto e setembro, de R$ 8,37 para R$ 8,80. Em setembro do ano passado, essa compra saía, em média, por R$ 6,67, segundo dados do Procon-SP.
A analista do Cepea não descarta também a possibilidade novos aumentos no varejo. "A tendência é fazer esses repasses [...] E, apesar de ter sido uma alta nominal, como a renda está fragilizada, qualquer aumento já é sentido pelo consumidor", diz Juliana.
No Brasil, o preço do ovo para o consumidor avançou 16% em 12 meses até setembro. Em algumas regiões metropolitanas, o alimentou disparou acima de 20%, como no Rio de Janeiro, Grande Vitória, Curitiba e Recife. Veja no info abaixo:
Variação de preços ao consumidor dos ovos
Arte/g1
Tradicional alternativa de proteína quando os preços das carnes sobem, o alimento já não tem sido uma opção para muitos brasileiros. Com o empobrecimento da população, muitos estão recorrendo até mesmo a ossos de carnes, que também subiram de preço, assim como os cortes nobres.
Leia também:
'Osso é vendido, e não dado': placa é retirada de açougue após fiscalização em SC
Recordes no agronegócio e aumento da fome no Brasil: como isso acontece ao mesmo tempo?
Consumo de carne no Brasil cai ao menor nível em 25 anos
No campo
A analista de mercado de ovos do Cepea Juliana Ferraz diz que os recordes refletem o aumento dos custos com a ração no campo, como milho e farelo de soja, que atingem máximas no mercado internacional.
Para ela, a tendência é que os preços pagos ao produtor se mantenham elevados, mesmo com a expectativa de baixas na segunda quinzena de outubro. Nos últimos dias de cada mês, é normal que granjas baixem preço para não acumularem estoques.
"Em relação ao ovo vermelho, nenhuma praça sinalizou preço recorde. Ainda estamos longe de atingir esse patamar", detalha, explicando que a produção de ovos brancos é maior em relação aos marrons.
VÍDEO: Cortes de terceira também ficaram mais caros
G1 em 1 Minuto: Carcaça temperada, pé de galinha, pescoço e outros cortes de terceira também ficaram mais caros

Fonte: G1