Nacional

Papéis da Petrobras despecam em NY após Bolsonaro indicar novo presidente da estatal

Ativos da companhia operavam com perdas de 13,59% no after market, cotados a US$ 9,35, depois de uma queda de 7,12% no pregão regular. Jair Bolsonaro indica novo presidente da Petrobras; entenda o caso
Os ADrs (Recibos de Depósitos; certificados de ações) da Petrobras em Nova York registram forte queda na noite desta sexta-feira (19), após o presidente Jair Bolsonaro indicar o general Joaquim Silva e Luna, atual diretor da Itaipu Binacional, para o comando da estatal.
Bolsonaro troca presidente da Petrobras; repercussão
Bovespa é puxada por forte queda da Petrobras após pressão de Bolsonaro
Às 20h49 (horário de Brasília), os ativos Petroleo Brasileiro S/A ADR operavam com perdas de 13,59% no after market, cotados a US$ 9,35, depois de uma queda de 7,12% no pregão regular.
No mesmo horário, os da Petroleo Brasileiro S/A ADR A, por sua vez, registravam queda de 14,88%, cotados a US$ 9,14.
Bolsonaro indica general Joaquim Silva e Luna para a presidência da Petrobras
"É uma situação muito delicada, principalmente por ter acontecido de forma tão desordenada. Porque ficou claro que há uma disputa em torno da política de preços da Petrobras, e isso é uma situação que fragiliza muito a empresa. Passa uma insegurança pros investidores", disse à Reuters o professor do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Edmar de Almeida.
O general Joaquim Silva e Luna está no comando da Itapu desde janeiro de 2019. Sua indicação faz parte de uma estratégia do governo de colocar militares em postos de comando das estatais.
Ele será o primeiro militar a assumir a da Petrobras desde 1989, quando o oficial da Marinha Orlando Galvão Filho deixou o cargo.
Vídeos: Últimas notícias de Economia

Fonte: G1