Internacional

EUA planeja direcionar US$ 40 milhões para apoiar oposição da Venezuela

O governo Trump anunciou que o repasse, que inicialmente seria destinado a Guatemala e Honduras, será usado para suprir necessidades da oposição venezuelana

O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, planeja redirecionar mais de 40 milhões de dólares de ajuda humanitária à América Central para apoiar a oposição da Venezuela, segundo um documento interno obtido pela Reuters na terça-feira.

Os 41,9 milhões estavam destinados a Guatemala e Honduras, dois dos três países centro-americanos no centro de uma crise imigratória na qual milhares de pessoas fugiram da pobreza, da violência e da corrupção e tentaram cruzar a fronteira sul dos EUA.

A notificação à Agência de Desenvolvimento Internacional disse que o dinheiro, na verdade, será usado para salários, viagens, equipamentos de comunicação, assistência técnica e treinamento para a administração de um orçamento governamental e outras necessidades da oposição venezuelana, que tem o apoio do governo norte-americano.

O memorando de 11 de julho diz que os fundos são necessários por causa de um “evento significativo e premente do interesse nacional dos EUA, especificamente a crise que avança rapidamente na Venezuela”.

O memorando e seu conteúdo foram revelados inicialmente pelo jornal Los Angeles Times.

Os porta-vozes do Departamento de Estado dos EUA, do líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, e do Ministério da Informação da Venezuela não responderam de imediato a um pedido de comentário.

Guaidó, que comanda a Assembleia Nacional da Venezuela, invocou a Constituição do país em janeiro para assumir uma presidência interina, argumentando que o presidente da nação, Nicolás Maduro, é ilegítimo.

Maduro, por sua vez, classificou Guaidó como um fantoche apoiado por Washington e vem mantendo o controle do governo.

Em junho, o Departamento de Estado dos EUA anunciou um corte de centenas de milhões de dólares de auxílio a El Salvador, Guatemala e Honduras depois de Trump dizer que os três países não estão fazendo o suficiente para estancar a imigração.

Fonte: Exame