Nacional

Lime, de patinetes elétricas, chega ao Brasil nesta semana

Startup de patinetes elétricas criada em junho de 2017, na Califórnia, começará sua atividade nacional nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro

A empresa californiana de micromobilidade Lime chegará a terras brasileiras nesta semana, começando pelas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro.

O anúncio foi feito em evento com a imprensa realizado hoje (2), em São Paulo. Criada em junho de 2017, a startup está presente em mais de 100 cidades de 26 países e realizou mais de 65 milhões de corridas no último ano por meio de suas patinetes elétricas verdes, pretas e brancas.

“Como daremos conta do aumento do fluxo de pessoas para as cidades? A resposta não é adicionar mais frota aos 8,5 milhões de carros em São Paulo”, afirma Joe Kraus, presidente global da Lime. “Você usará veículos menores para viagens mais curtas e veículos maiores para viagens mais longas. Esse será o quadro que veremos nas maiores cidades pelo mundo. E nós somos o maior líder global em micromobilidade.”

Em São Paulo, a Lime começará hoje mesmo na região de Pinheiros, Vila Olímpia, Itaim, Brooklin e Vila Nova Conceição. No Rio de Janeiro, a Lime começa nesta quinta-feira (4) em praias da Zona Sul, incluindo Copacabana, Ipanema e Leblon. A Lime conversa com essas prefeituras desde o último trimestre do ano passado.

A Lime espera, nos próximos 3 meses, oferecer mais de 300 treinamentos e treinar 4.000 usuários.

A startup colocará “milhares” de patinetes elétricas no Brasil. O custo de desbloqueio da viagem será de 3 reais, mais 50 centavos por minuto de viagem.

A Lime já fechou parcerias para disponibilizar estacionamento a suas patinetes elétricas em pontos estratégicos, como a feita com a varejista GPA (das bandeiras Pão de Açúcar e Extra). Também é parceira da gigante de espaços de trabalho WeWork, que possui escritórios em São Paulo e no Rio de Janeiro.

A startup californiana já opera em outros países da América Latina, realizando 2 milhões de corridas em países como Chile, Colômbia, México e Uruguai. Agora, lançará no Brasil, na Argentina e no Peru.

Ao todo, obteve 765 milhões de dólares de investidores como os fundos Andreessen Horowitz, Fifth Wall Ventures e Bain Capital Ventures.

Um de seus investidores é a gigante de mobilidade urbana Uber. A Lime anunciou nos últimos dias sua inclusão no aplicativo da Uber em algumas cidades americanas. A Lime afirma que estuda a expansão desse modelo em outras regiões, sem confirmar a chegada ao Brasil.

Concorrência

Por aqui, a maior competição da Lime será a da Grow, holding de micromobilidade que une a mexicana Grin e a brasileira Yellow e oferece bicicletas e patinetes elétricas.

Globalmente, a Grow atende cinco milhões de usuários em 19 cidades de sete países. Apenas em São Paulo, são 1,5 milhão de usuários. As marcas Grin e Yellow mediaram 2,7 milhões de viagens nos últimos seis meses e possuem uma frota conjunta de 135 mil bicicletas e patinetes elétricas. O plano é dobrar o número de equipamentos de micromobilidade nos próximos meses.

A Lime chega a um Brasil mais maduro no uso das patinetes elétricas, inclusive após discussões governamentais. As peças no tabuleiro estão preparadas — e a disputa pela preferência dos consumidores pode começar.

Fonte: Exame