Internacional

Novo primeiro-ministro britânico deve ser conhecido em 23 de julho

Ex-prefeito de Londres Boris Johnson e o ministro das Relações Exteriores Jeremy Hunt são os principais nomes da disputa

O Reino Unido vai anunciar seu novo primeiro-ministro, que sucederá Theresa May, no dia 23 de julho, segundo o Partido Conservador do país, citado pela mídia britânica.

Após uma série de rodadas de votação, a disputa pelo cargo se resume agora ao ex-prefeito de Londres Boris Johnson e ao ministro das Relações Exteriores, Jeremy Hunt.

Johnson, que é considerado favorito, defende que o Reino Unido saia da União Europeia “com ou sem acordo” até o prazo final de 31 de outubro.

Entre si, os dois se diferenciam em uma questão fundamental para o Reino Unido, que é saída da União Europeia com ou sem acordo em 31 de outubro. Confira as estratégias de cada aspirante ao cargo:

Boris Johnson

Ex-ministro das Relações Exteriores e ex-prefeito de Londres, “Bojo”, de 54 anos, foi um dos grandes artífices da vitória do Brexit no referendo de 2016. Quer que o país saia da UE no dia 31 de outubro com ou sem acordo.

Criticou firmemente a estratégia de May na negociação com Bruxelas e acabou deixando a Chancelaria em julho para se tornar feroz rival da primeira-ministra. Carismático e hábil politicamente, é o favorito dos militantes de base.

Recentemente, seu nome também está associado a um possível caso de violência doméstica. A polícia foi chamada para o endereço no sul de Londres onde Johnson está vivendo com a namorada Carrie Symonds nas primeiras horas da manhã de da última sexta-feira (21), depois que vizinhos ouviram uma discussão em voz alta. Boris Johnson, está atualmente se divorciando de sua segunda esposa. Todos os moradores do endereço foram ouvidos e estão seguros e bem, disse a polícia, em comunicado.

Apoiadores de Johnson afirmam que a decisão de um vizinho de enviar uma gravação da discussão para o jornal Guardian teve motivações políticas. O vizinho Tom Penn, de 29 anos, disse em um comunicado que chamou a polícia porque estava “assustado e preocupado com o bem-estar dos envolvidos”.

Jeremy Hunt

O ministro das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, de 52 anos, defendeu a permanência na UE em 2016, antes de mudar de opinião decepcionado pela atitude “arrogante” de Bruxelas nas negociações

Este ex-empresário que fala fluentemente japonês considera que buscar uma saída sem acordo da UE em outubro seria “um suicídio político” para os conservadores no poder.

Fonte: Exame