Internacional

Negociadores da China e EUA discutem comércio antes de encontro para G20

Diálogo sino-americano está atualmente num impasse, depois de 11 rodadas de conversas sobre questões comerciais e tecnológicas

Negociadores da China e dos Estados Unidos estão discutindo soluções para suas desavenças comerciais antes da aguardada reunião entre os líderes dos dois países, às margens da cúpula do G20 que acontece no Japão no fim da semana.

Wang Shouwen, um vice-ministro de Comércio chinês, disse nesta segunda-feira que os dois lados estão tentando “consolidar o importante consenso alcançado” pelos presidentes dos EUA, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, em conversa telefônica ocorrida na semana passada. Wang não forneceu mais detalhes.

O diálogo sino-americano está atualmente num impasse, depois de 11 rodadas de conversas sobre questões comerciais e tecnológicas que levaram as duas potências econômicas a impor tarifas adicionais a centenas de bilhões de dólares de produtos um do outro.

Trump e Xi deverão se encontrar durante a cúpula do G20, que começa na sexta-feira (28) e será concluída no dia seguinte.

Tanto a China quanto os Estados Unidos deveriam fazer concessões nas negociações comerciais, afirmou nesta segunda-feira o vice-ministro do Comércio chinês, Wang Shouwen, antes de uma reunião entre os presidentes de ambos os países no G20 nesta semana.

Na semana passada China e EUA disseram que estavam retomando as negociações antes do encontro entre os presidentes Donald Trump e Xi Jinping. As expectativas de que isso levará a uma redução das tensões na guerra comercial que afeta a economia global animaram os mercados financeiros.

Falando em entrevista à imprensa na cúpula do G20, Wang, que faz parte da equipe de negociação, disse que as discussões entre as equipes comerciais de ambos os países estão em andamento, embora não tenha dado detalhes.

Os princípios da China são claros, disse ele –respeito mútuo, igualdade e benefícios mútuos e um meio-termo.

“Respeito mútuo significa que cada lado precisa respeitar a soberania do outro”, disse Wang.

Igualdade e benefícios mútuos significam que as discussões precisam acontecer em pé de igualdade, o acordo a ser alcançado tem que ser benéfico para ambos os lados”, disse ele.

“Encontrar um meio-termo significa que ambos os lados têm que ceder e fazer concessões, não apenas um lado.”

Wang recusou-se a responder a uma pergunta sobre concessões específicas que Xi pode oferecer para fechar um acordo comercial com Trump.

Fonte: Exame